O surpreendente paradoxo de comer demais

//O surpreendente paradoxo de comer demais
imagem referente ao texto.

By Jason Fung, M.D.

Influência do ‘termostato de gordura’ do corpo na perda de peso

  • O percentual de gordura corporal é controlado como um termostato, que determinará se perderemos ou não peso
  • Quando perdemos peso, nosso corpo tenta recuperar esse peso aumentando a nossa fome e diminuindo a taxa metabólica basal
  • Da mesma forma, quando ganhamos peso, nosso corpo tenta perdê-lo diminuindo a nossa fome e aumentando a taxa metabólica basal
Por Jason Fung, M.D., Co-fundador de The Fasting Method. Traduzido por Maira Soliani, M.D/ PhD.

A maioria das pessoas pensa que comer demais causa obesidade e comer menos nos permitirá perder peso. Se isso estiver correto, quando você superalimentar participantes em um estudo, eles devem ganhar peso de forma consistente. Fácil de provar, certo? Isso é o que o endocrinologista Dr. Ethan Sims também pensava no final dos anos 1960 em seus famosos experimentos de superalimentação.

Ele recrutou estudantes universitários para participar de seu experimento de comer demais. Todo mundo achou que seria fácil. Participantes ganham as refeições, sem problema. Mas, surpreendentemente, não foi tão fácil forçar essas pessoas a comerem demais e ganharem peso. Para àqueles de vocês que já tentaram alimentar um bebê gritando e se debatendo (porque temiam que esse bebê pudesse morrer de fome) – VOCÊS sabem do que estou falando. Ou talvez lembrem da última vez que você se empanturrou no rodízio da churrascaria. Imagine logo em seguida comer mais 2 costeletas de porco. Viu só? não é tão fácil… Quando ficamos satisfeitos, não é fácil forçar mais comida goela a baixo. O mero pensar na comida já te deixa nauseado.

Para continuar lendo clique aqui.